Na era do COVID-19: Trabalhadores de frigorífico escravizados como trabalhadores essenciais?

Gerardo Otero, Simon Fraser University

(Kailey Whitman for The Washington Post)

Apenas pessoas que entraram nas forças armadas têm expectativa de legalmente enfrentar situações de vida e morte. Pode dizer que têm o dever patriotico de defender seu páis. Mas a administração Trump nos Estados Unidos declarou a indústria de carne é essencial, colocando em risco a vida dos trabalhadores em frigoríficos. Por causa das relações de produção, que exigem que os trabalhares trabalham lado a lado, são centenas já infectados com o cornonavírus em diversos locais.

Otero mandou link de uma analise desta política que destaca os vínculos com América Latina. Próximo 80% dos trabalhadores são da região, enquanto os donos da indústria geralmente “brancos”. Daí temos a imagem dos latinos forçados a trabalhar em condições de risco de vida para a carne dos hamburgers que o Trump adora consumir.

Apontamos que pelo menos um gigante desta indústria é brasileira, a JBS.

Veja o artigo em:

https://www.washingtonpost.com/opinions/2020/05/11/jonathan-safran-foer-meat-is-not-essential-why-are-we-killing-it/?arc404=true

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s